Treze emissoras de Goiás e duas do Tocantins assinaram os termos aditivos de adaptação das outorgas para a migração do AM para o FM na quarta-feira, dia 31, em Goiânia (GO). O mutirão de assinaturas do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) visa catalisar o processo de migração em todo o Brasil.

 

O governador de Goiás, Marconi Perillo, ressaltou o valor do processo para o setor de radiodifusão.

 

“Sintetizo essa cerimônia em uma palavra: modernização. Modernizar para melhor informar. Esse é o sentido da migração”, disse Perillo.

 

Cinquenta e uma rádios goianas manifestaram interesse em mudar de faixa. Segundo Perillo, o setor de radiodifusão gera mais de 750 mil empregos diretos e indiretos no estado.

 

Quase 1500 rádios AM, das 1781 existentes em todo território nacional, pediram para migrar do AM para o FM. Nesta primeira etapa, cerca de mil emissoras poderão operar na faixa atual de FM, de 88 a 108 MHz. As demais terão que esperar a conclusão da digitalização da TV para liberação da faixa estendida, de 76 até 108 MHz.

 

O mutirão em Goiânia foi o quarto realizado no País. O evento já passou pelo Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Santa Catarina. Em outras duas solenidades realizadas em Brasília, rádios de todo o Brasil assinaram o termo de migração. A próxima cidade a reunir emissoras para a assinatura será Curitiba (PR), na segunda-feira, dia 05 de junho.

 

Ao longo do mutirão em Goiânia, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, assinou portaria autorizando o desligamento do sinal analógico na cidade e em outros 28 municípios goianos.

 

 

RCR/ABERT