Aproximadamente 20 representantes de emissoras de rádio paranaenses que desejam migrar para FM se reuniram com o diretor de Rádio da ABERT, André Cintra, na segunda-feira, dia 26, na sede da Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná (Aerp) e do Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão do Paraná (SERT-PR).

 

Cintra apresentou os estudos de viabilidade feitos desde o início do processo e destacou que a exclusão de canais vagos, a alteração de canais de reservas do Plano FM e de canais de rádios comunitárias (Radcom) poderão abrir espaço na faixa atual.

 

Para agilizar o processo, André Cintra defendeu um trabalho conjunto entre as associações para que mais rádios consigam migrar para a faixa atual de FM.

 

“Sugerimos que os engenheiros das emissoras do Paraná nos indiquem estudos e informações sobre alteração de potência de canais. Estudando caso a caso, poderemos contemplar um número maior de emissoras na migração para o FM”, disse.

 

As emissoras da região Oeste do PR enfrentarão uma dificuldade maior por estarem em região de fronteira. “Neste caso, a Anatel precisa submeter o pedido do processo de migração para aprovação do Mercosul”, concluiu.

 

O presidente da AERP, Alexandre Barros, reafirmou o empenho da associação em agilizar a migração, especialmente após o decreto do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), que reabriu o prazo para a solicitação da mudança de faixa.

 

 


Signis Brasil/ ABERT