Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

Igreja

Campanha da Caritas visa arrecadar lenha e garantir energia elétrica a refugiados

Campanha da Caritas visa arrecadar lenha e garantir energia elétrica a refugiados

A Caritas de Portugal acaba de lançar a campanha solidária “Levo calor aos refugiados”. Direcionada aos que vivem em grandes alojamentos em países como a Grécia e a Sérvia, a iniciativa quer beneficiar os que sofrem com o inverno rigoroso do continente europeu.   “São em tantos que nem todos cabem nesses abrigos”, recorda Eugénio Fonseca, presidente da entidade católica. “Os refugiados precisam enfrentar o frio, a chuva e a neve. As temperaturas chegam a 20 graus negativos. Muitos vivem ao relento, outros em campos ou edifícios abandonados e muitos não resistem a essas duríssimas condições. E as crianças na fragilidade das suas condições físicas?”, questiona Fonseca.   O objetivo é recolher ajuda financeira aos refugiados, mas também às populações mais vulneráveis que se encontram no leste e sul da Europa.   Os recursos arrecadados pela Caritas de Portugal, num primeiro momento serão direcionados à compra de lenha e à garantia de acesso das pessoas à eletricidade, além de comida e cobertores.    Em 2016, a entidade católica portuguesa arrecadou 25 mil euros (equivalente a cerca de 85 mil reais) na campanha de inverno. Os recursos proporcionaram aquecimento para 120 refugiados no Líbano durante seis meses. No mesmo ano, também foram arrecadados mais de 13 mil euros (aproximadamente 45 mil reais) para a distribuição de roupas de inverno para 335 crianças refugiadas na Síria.   RCR/RV
Diretor da Caritas de Roma fala sobre plano de prevenção para moradores de rua no inverno

Diretor da Caritas de Roma fala sobre plano de prevenção para moradores de rua no inverno

O inverno tem sido rigoroso na Europa e três pessoas já faleceram de hipotermia em Roma. Moradores de rua, a última vítima do frio foi encontrada há dois dias em um estacionamento público da capital italiana. A situação tem sido frequentemente  denunciada pelo Papa Francisco e cada vez mais voluntários se colocam à disposição para salvar vidas.   Em entrevista à Rádio Vaticano, o diretor da Caritas de Roma, Enrico Feroci, falou sobre as vítimas do inverno na Itália: seis pessoas morreram no país, três somente em Roma.   Segundo ele, “Não se pode enfrentar o frio sempre como uma emergência, correndo atrás daquilo que se poderia ou se deveria fazer. É absolutamente necessário fazer um plano de prevenção para evitar essas coisas. Com o frio deste ano, neste momento, é preciso pensar no frio de dezembro de 2017, de janeiro e fevereiro de 2018 e se organizar, porque não tem uma organização que consiga dar uma resposta a tantas pessoas, realmente porque a pobreza está aumentando e todos permanecem na rua”.   Feroci também comentou a relação do Papa com essa situação de emergência, e também falou dos que ajudam os mais necessitados.   “Eu diria que o Papa Francisco pela manhã, quando acorda, a primeira oração que faz é realmente para os pobres e também para aqueles que estão próximos a esse mundo. É como se falasse: “O Senhor está ali”, como nos dizia Jesus no Evangelho: não ia procurá-lo no Templo, mas no pobre que precisa de ajuda. Papa Francisco está nos dizendo onde precisamos encontrar o Senhor, ali, onde está o homem que sofre. Ele nos diz isso continuamente e acredito que esteja também ali o estímulo, a beleza daquilo que está dizendo e está fazendo por nós”, declarou.    RCR/RV