Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

Igreja

Diocese de Marília dá início a Escola de Comunicação

Diocese de Marília dá início a Escola de Comunicação

No último sábado, dia 18, a diocese de Marília (SP) iniciou a Escola de Comunicação Paulo Apóstolo. Participaram dela cerca de 200 agentes de pastoral nas dependências da paróquia Imaculada Conceição, de Parapuã (SP). A iniciativa tem como finalidade a formação de leigos para o trabalho paroquial com vários meios de comunicação.   Com o tema da 51ª Mensagem do papa Francisco para o Dia Mundial das Comunicações Sociais, a aula inaugural teve assessoria do coordenador estadual da Pastoral da Comunicação, padre Marcos Vinícius Clementino, de Guarulhos (SP). Após um discurso do sacerdote, houve missa presidida pelo bispo diocesano de Marília, dom Luiz Antonio Cipolini.    Durante a homilia, resgatando a reflexão de São João Paulo II, dom Luiz disse que a comunicação na fé é fruto da inspiração divina. “Para nós, cristãos, a comunicação torna-se experiência da graça de Deus”, declarou.   Dom Luiz Antonio também abençoou as três imagens do padroeiro da Escola, que foram encaminhadas para os polos formativos, e enviou os comunicadores à missão evangelizadora.    Escola de Comunicação - Durante o ano, a Escola de Comunicação Paulo Apóstolo da diocese de Marília oferecerá, ao todo, seis aulas para a formação dos agentes de pastoral. Divididos em três polos, os alunos terão os encontros com as seguintes disciplinas: Pastoral e Comunicação, Produção de texto, Igreja e redes sociais, Fotografia, Diretório de Comunicação da Igreja no Brasil e Marketing Católico, e Produção de Conteúdo.   Para a Região Pastoral I, o polo formativo será em Marília, nas dependências da Faculdade João Paulo II (Fajopa). Os alunos da Região II se encontrarão em Osvaldo Cruz (SP), na Matriz de São José, e na Região III o polo será na Matriz de Santa Genoveva, em Irapuru (SP).     RCR/CNBB
Entidade dos EUA se mostra favorável à ativação de chips FM em celulares

Entidade dos EUA se mostra favorável à ativação de chips FM em celulares

A Federal Communications Commission (FCC), órgão regulador da área de telecomunicações e radiodifusão dos EUA, defendeu a ativação do chip FM nos celulares. O posicionamento da FCC, que está sob presidência de Ajit Pai desde janeiro, se tornou público durante uma palestra na North American Broadcasters Association (NABA).   Ajit Pai observou que a FCC não planeja tornar obrigatória a ativação. Ele tem sido um defensor do rádio, particularmente das propostas de revitalização do AM.   No entanto, ele também defende práticas contrárias à neutralidade de rede como o zero-rating. Num modelo desses, o consumo de dados com o streaming de um determinado serviço de música pode não ser cobrado do cliente da operadora de celular. Em desvantagem, o streaming do simulcast de uma emissora de rádio poderia não ter o mesmo benefício.   AERP conta com projeto Radiophone - O Projeto Radiophone, que tem sido divulgado no site da RCR,  estimular a compra de celulares com chip de rádio integrado, e reitera que o futuro do rádio está no dial, no sinal livre, universal e gratuito. O projeto, lançado no final de 2016, é nacional e ressalta as vantagens do rádio FM em celulares.    A campanha é apoiada de radialistas e radiodifusores de todo o Brasil e sua adesão está crescendo na divulgação dos spots, jingles e testemunhais. A campanha da AERP (Associação das Emissoras de Radiodifusão do Paraná) deseja esclarecer essas vantagens, fomentando a intenção de contar com um receptor em FM já na compra de um smartphone.    Em outubro de 2016, o sistema operacional Android representava 94,4% das vendas de smartphone no Brasil (Kantar Brasil Insights - e a ABERT estima que 78% dos celulares no Brasil contam com FM integrado).   A maioria dos aparelhos que contam com o Android possui recepção nativa de rádio FM.     RCR/Tudo Rádio