O deputado federal Sandro Alex (PSD-PR) apresentou projeto de lei que obriga que as empresas fabricantes dos equipamentos disponibilizem a funcionalidade de recepção do FM em todos os aparelhos. Na justificativa da proposta, o deputado ressalta a importância do rádio no dia a dia da população brasileira. 

  

O chip de recepção de rádio FM poderá estar em 100% dos aparelhos celulares produzidos ou montados no Brasil. “O rádio é reconhecidamente uma fonte de cultura, lazer e informação, em especial, em localidades menos desenvolvidas economicamente. O serviço de radiodifusão é uma fonte segura e confiável de informação. Por isso, é imprescindível ter o receptor do FM nos aparelhos”, afirma Sandro Alex.

 

O deputado ressaltou também que a inclusão do chip FM no celular é uma tendência mundial.

 

“A União Internacional de Telecomunicações (UIT) e a Comissão Federal de Comunicações (FCC), órgão que regulamenta o serviço de telecomunicações nos Estados Unidos, emitiram documentos sugerindo que os fabricantes de celulares permitam que o rádio esteja em todos os aparelhos”, disse.

 

No início deste ano, o México publicou uma norma determinando que todos os aparelhos vendidos no país devem ter, obrigatoriamente, o chip FM no celular. Estudos da ABERT mostram que dos 275 modelos de celulares disponíveis no mercado brasileiro, 179 têm o chip FM. A mesma pesquisa mostra que 100% dos aparelhos mais simples, de até R$ 300, têm rádio FM integrado. Nos aparelhos mais caros (smartphones), acima de R$ 1.000, esse número cai para apenas 57%.

 

O diretor geral da ABERT, Luis Roberto Antonik, salienta que a presença do rádio FM nos celulares é essencial para a sobrevivência desse meio de comunicação, além de prestar um importante serviço para a sociedade.

 

“O rádio é o veículo mais interativo do mundo. É com o rádio que a informação chega mais rápido à sociedade. Em momentos de calamidade pública ou emergência é o rádio que auxilia as pessoas”, afirma Antonik, ao lembrar que a transmissão ao vivo foi fundamental para ajudar a população nas enchentes em Santa Catarina e no rompimento da barragem em Minas Gerais.

 

Em 2014, a ABERT lançou a campanha “Smart é ter rádio de graça no celular", que orienta o ouvinte a sempre escolher um aparelho celular que tenha o dispositivo embutido.

 

“Além da pluralidade que o rádio proporciona, a aprovação desse projeto fará com que todos possam ouvir a rádio preferida de forma gratuita sem ter que usar o pacote de dados do plano contratado”, diz Antonik.

 

Dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) indicam que há no Brasil cerca de 242 milhões de aparelhos, o que representa mais de um celular por pessoa. O assunto também foi discutido durante o SET Expo 2017, realizado no mês passado na capital paulista. A AERP lançou recentemente uma nova fase da campanha para a ativação do chip de FM em celulares vendidos no Brasil.

 

 

RCR/Tudo Rádio