Dentre o episcopado participante da última Entrevista Coletiva da 36a. Assembelia do Celam, estiveram presentes Monsenhor Juan Espinoza, Secretário Geral do Celam; Padre Francisco Nino, Sub-Secretário do Celam; dom Jorge Solórzano, Secretário-Geral da Conferência Episcopal da Nicarágua; e dom Alfonso Gerardo Miranda, Secretário-Geral da Conferência Episcopal do México.

 

Eles deram suas impressões gerais e pessoas experimentadas ao longo do evento.

 

Nas palavras de Monsenhor Juan Espinoza, “os dois primeiros dias nós trabalhamos as questões promovidas pelo Celam, tivemos a exposição dos relatórios pastorais dos sete departamentos: educação e cultura, vocação e ministérios, e todas as questões de trabalho social. Além disso, uma síntese do trabalho realizado em dois anos e estes relatórios foram aprovados. Também o presidente da Conferência fez um relatório muito abrangente”.

 

Ele acrescentou que “convivência foi uma muito significativa com o povo de Deus desde o primeiro dia na Paróquia da Inmaculada Concepción; depois, ontem na Catedral, foi um dia especial, os membros do Celam se encontraram com os bispos do Canadá e dos Estados Unidos e comemoram o 20º aniversário do Sínodo da América e refletiram sobre a migração para acompanhar nossos irmãos migrantes”. Monsenhor Espinoza enfatizou ainda que, na manhã do dia 12 de maio, “foi comemorado o 10º aniversário da Conferência de Aparecida. A conclusão é de um relançamento do que já está previsto em Aparecida”.

 

Padre Francisco disse que “a experiência da Igreja Católica é a de comunhão. O Celam busca criar um espaço de comunhão para os bispos discernirem o que Deus está chamando-os nas diversas comunidades que vivem nestas terras América Latina e Caribe. Na verdade, estamos em uma reunião pastoral onde os sucessores dos apóstolos se reúnem para discernir o que Deus está pedindo a Igreja latino-americana”.

 

Dom Alfonso Gerardo Miranda lembrou a mensagem Núncio Apostólico na terça-feira, 9 de maio, na qual se fez menção a dom Romero: “o que tocamos dá-nos a sensação de sentir Oscar Romero respirar”. O Núncio Apostólico de El Salvador disse ainda que quer fazer uma moção para que dom Romero seja proclamado Doutor da Igreja Universal. Ele concluiu sobre esta questão dizendo que “Romero mostrou-nos o caminho a seguir, para que o cristão seja o que acredita, o que vive, o que professa.”

 

Por fim, Monsenhor Miranda disse que o “importante é que todos nós nos reconheçamos como irmãos e juntos possamos sair dessas situações que nos afetam. Todos os problemas não podem ser resolvidos apenas com a força de um país, mas creio que precisamos da força de todos os países juntos para seguirmos adiante .” E ele pediu para que “a Virgem nos mantenha unidos para construirmos o Reino de seu filho.”

 

Concluindo a coletiva, Monsenhor Juan Espinoza informou que a 37a. Assembleia Geral Ordinária será entre 13 e 17 de maio de 2019, em Honduras.

 

 


RCR/CNBB/Celam