Ao Vivo
 
 
Siga ao vivo

Política

Eleição de Trump não gerou impacto negativo no fluxo de dólares no país, diz BC

Eleição de Trump não gerou impacto negativo no fluxo de dólares no país, diz BC

A eleição de Donald Trump para a presidência dos Estados Unidos não trouxe impactos negativos para os fluxos de dólares no Brasil, avaliou o chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Tulio Maciel. Antes da eleição, entre o dia 1º e o dia 8, o fluxo estava negativo em US$ 1,059 bilhão. Do dia 9 deste mês, até o último dado disponível, na sexta-feira, 18, o saldo da entrada e saída de dólares do país ficou positivo em US$ 3,523 bilhões. O fluxo financeiro ficou positivo em US$ 1,702 bilhão e o comercial, em US$ 1,821 bilhão. “Não tem nenhum impacto negativo sobre o volume de recursos no mercado cambial”, disse Maciel. Nos dados preliminares deste mês até o dia 18, o fluxo cambial ficou positivo em US$ 2,464 bilhões, com fluxo financeiro negativo em US$ 183 milhões e o comercial positivo em US$ 2,647 bilhões.
Secretário de Estado Vaticano comenta eleição de Trump

Secretário de Estado Vaticano comenta eleição de Trump

O Secretário de Estado Vaticano, Cardeal Pietro Parolin, falou sobre a vitória de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos. O resultado que elegeu o candidato republicano foi divulgado por volta das 5h30 da manhã.   “Creio que, antes de tudo, tomamos conhecimento com respeito da vontade expressa pelo povo estadunidense neste exercício de democracia que, soube, foi caracterizado também por uma grande afluência às urnas”, disse.   O Cardeal ainda fez votos à nova gestão presidencial com Trump. “Que o Senhor o ilumine e o ampare a serviço de sua pátria, naturalmente, mas também a serviço do bem-estar e da paz no mundo. Acredito que hoje exista a necessidade de todos trabalharem para mudar a situação mundial, que é uma situação de grave dilaceração, de grave conflito”, afirmou.   Surpreendendo previsões e pesquisas de intenção de voto, Trump venceu Hillary Clinton com 276 dos 538 votos do Colégio Eleitoral em contagem parcial dos votos.   Hillary perdeu Estados decisivos, tais como a Flórida, Ohio e a Carolina do Norte.   Em seu discurso de vitória, o presidente eleito fez o compromisso de "renovar o sonho americano" e pediu a união do país. "Serei o presidente de todos os americanos e isso é muito importante para mim", afirmou ele e completou: "Para aqueles que optaram por não me apoiar, estou estendendo a mão para a sua orientação e ajuda para que possamos trabalhar juntos para unificar nosso grande país. A todos os republicanos, democratas e independentes nesta nação lhes digo que é momento que nos reconciliemos como um povo unido."   Segundo Trump, a candidata democrata, Hillary Clinton, telefonou reconhecendo a derrota. RCR/RV